30/05/2022

Fazer pose de Super-Homem ou de Mulher Maravilha faz você se sentir mais forte?

Redação do Diário da Saúde
Fazer pose de Super-Homem ou de Mulher Maravilha faz você se sentir mais forte?
Mas cuidado, porque parece que nenhuma pose especialmente pensada vai fazer você parecer o que não é.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Posturas de poder

Lembra-se da antiga discussão entre os psicólogos sobre fazer uma pose para parecer poderoso?

A mais recente pesquisa sobre o assunto concluiu que posturas dominantes podem de fato ajudar as pessoas a se sentirem - e talvez até se comportarem - com mais confiança.

Por outro lado, os resultados também refutam a afirmação de que certas poses influenciam os níveis hormonais de uma pessoa.

A conclusão veio depois que o professor Robert Korner e seus colegas da Alemanha e dos EUA avaliaram dados de cerca de 130 experimentos feitos por diversas equipes, envolvendo um total de 10.000 participantes.

Pose de poder aumenta autoconfiança

A postura e a linguagem corporal são ferramentas largamente utilizadas na psicologia. "Na terapia, elas podem ajudar as pessoas a se sentirem seguras e a experimentar sentimentos positivos," disse Korner, da Universidade Halle-Wittenberg (Alemanha).

A pesquisa científica sobre poses de poder tenta medir a extensão em que poses mais ousadas podem influenciar os sentimentos e a autoestima de uma pessoa. Um exemplo comum é a pose da vitória, com os braços estendidos que, de acordo com vários estudos, visa aumentar a autoconfiança.

"No entanto, muitos desses estudos são inconclusivos e foram realizados com amostras pequenas. Além disso, os estudos às vezes apresentam resultados contraditórios," explicou Korner. Foi por isso que a equipe decidiu realizar uma revisão meta-analítica (quantitativa) desses estudos, combinando os dados de cerca de 130 experimentos, usando métodos estatísticos complexos para reavaliar os dados de quase 10.000 pessoas.

A equipe encontrou uma conexão entre uma postura ereta e uma pose de poder e uma autopercepção mais positiva. "Uma pose dominante pode, por exemplo, fazer você se sentir mais autoconfiante," disse a pesquisadora Astrid Schutz, da Universidade de Bamberg. A equipe encontrou uma correlação semelhante com o comportamento, por exemplo, persistência nas tarefas e comportamento antissocial, mas esses efeitos foram menos robustos.

Por outro lado, a afirmação de que certas poses podem aumentar a produção de efeitos fisiológicos, por exemplo, hormônios, como testosterona e cortisol, que havia sido reivindicada em pesquisas anteriores, não foi sustentada. "As descobertas sobre os efeitos fisiológicos da pose de poder não são robustas e não foram replicadas por grupos de pesquisa independentes," explicou Schutz.

Deficiências dos estudos

Por meio de seu trabalho, a equipe também conseguiu identificar algumas limitações das pesquisas anteriores sobre o tema.

Por exemplo, a maioria dos estudos funcionou sem um grupo de controle, com todos os participantes adotando as posturas dominante, aberta ou mais submissa, conforme lhes era solicitado. Grupos sem essas poses raramente foram incluídos. "Por causa disso, não é possível dizer de onde vêm as diferenças, pois apenas uma das duas poses pode ter efeito," disse Korner.

Além disso, quase todos os estudos até agora foram conduzidos nas chamadas sociedades WEIRD (Ocidentais, Educadas, Industrializadas, Ricas e Democráticas), por isso não está claro se os resultados podem ser aplicados a outras culturas. As diferenças entre homens e mulheres e entre diferentes faixas etárias, por outro lado, não foram significativas.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Dominance and prestige: Meta-analytic review of experimentally induced body position effects on behavioral, self-report, and physiological dependent variables.
Autores: Robert Korner, L. Roseler, A. Schütz, B. J. Bushman
Publicação: Psychological Bulletin
Vol.: 148(1-2), 67-85
DOI: 10.1037/bul0000356
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Relacionamentos

Trabalho e Emprego

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.