04/01/2021

Retina artificial é feita com proteína de seda e células vivas

Redação do Diário da Saúde
Retina artificial é feita com proteína de seda e células vivas
As pesquisas para desenvolvimento de uma retina artificial biológica trazem esperanças de implantes biônicos para restaurar a visão.
[Imagem: Oxford University]

Fibra de seda com células vivas

Cientistas deram mais um passo para resolver o problema da cegueira derivada da degeneração macular relacionada à idade.

Eles desenvolveram a primeira retina artificial biohíbrida, feita com uma mistura de proteínas retiradas da seda e células retinais vivas.

"A retina biohíbrida é uma terapia celular para a reconstrução da retina danificada através do implante de células saudáveis no olho do paciente," explica o professor Fivos Panetsos, da Universidade Complutense de Madrid (Espanha).

As células da retina artificial aderem a biofilmes de fibroína de seda muito finos - um material 100% biocompatível com o tecido humano - e cobertas por um gel que as protege durante a cirurgia ocular, permitindo que sobrevivam durante o tempo que precisam para se integrar ao tecido após o transplante.

"A retina transplantada também contém células mesenquimais, que funcionam como produtoras de moléculas neuroprotetoras e neurorreparativas e facilitam a integração funcional entre as células implantadas e as do paciente," detalha Panetsos.

Retina artificial

Para construir essa retina artificial, os pesquisadores usaram a proteína fibroína da seda para desenvolver películas muito finas - eles as chamam de filmes - com características mecânicas semelhantes à membrana de Bruch, a camada de células que sustenta nossa retina.

Em seguida, adicionaram funcionalidades ao filme, para que as células retinais pudessem aderir a ele, permitindo que o filme funcionasse como base para o desenvolvimento de células epiteliais e neurais.

Finalmente, eles realizaram um estudo in vitro das características estruturais e funcionais do material biohíbrido, comprovando sua adequação para funcionar como uma retina.

Degeneração macular

A Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) é uma doença neurodegenerativa que causa perda progressiva da visão e até cegueira em seu estágio mais avançado. Provocado por mecanismos heterogêneos, complexos e ainda mal compreendidos pela ciência, esta é a principal causa da perda irreversível da visão em pessoas com mais de 65 anos de idade, afetando mais de 196 milhões de pessoas em todo o mundo.

A DMRI é uma doença incurável e os tratamentos atuais podem apenas aliviar os sintomas e retardar a progressão da doença.

"Esta pesquisa é um passo importante para resolver o problema da cegueira enfrentado pelos pacientes com DMRI," concluiu Panetsos.

Checagem com artigo científico:

Artigo: First steps for the development of silk fibroin-based 3D biohybrid retina for age-related macular degeneration
Autores: Nahla Jemni-Damer, Atocha Guedan-Duran, Jasmin Cichy, Paloma Lozano-Picazo, Daniel Gonzalez-Nieto, José Perez-Rigueiro, Francisco Rojo, Gustavo V. Guinea, Assunta Virtuoso, Giovanni Cirillo, Michele Papa, Félix Armada-Maresca, Carlota Largo-Aramburu, Salvador D Aznar-Cervantes, José L Cenis, Fivos Panetso
Publicação: Journal of Neural Engineering
Vol.: 17, Number 5
DOI: 10.1088/1741-2552/abb9c0
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Olhos e Visão

Transplantes

Células-tronco

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.