02/09/2019

A confusa ciência envolvendo os suplementos de vitamina D

Redação do Diário da Saúde
A confusa ciência envolvendo os suplementos de vitamina D
Vários estudos têm questionado o valor dos suplementos de cálcio e vitamina D, sobretudo pelo aumento no risco de ataques cardíacos e incerteza sobre a real proteção contra o risco de doenças ou fraturas.
[Imagem: Cortesia Brian Stauffer/UIUC]

Suplementos de vitamina D e cálcio

Ao receitar suplementos de vitamina D, os médicos devem considerar cada paciente individualmente como tendo exigências diferentes, e não confiar nas diretrizes "tamanho único".

Este é o alerta feito pela Dra Sylvia Christakos, da Universidade Rutgers, e seus colegas da Universidade da Califórnia em San Francisco (EUA).

A mensagem a se tirar é que ainda está por ser atendida a necessidade de um consenso entre os médicos e cientistas não apenas sobre as recomendações de suplementos de vitamina D, mas até mesmo dos níveis de vitamina D que são saudáveis e daqueles que exigem intervenção, e de como medir esses níveis.

"Recomendações baseadas em estudos anteriores usaram um variedade de testes diferentes para os níveis de vitamina D e, não surpreendentemente, as diretrizes atuais variam," disse Christakos. "Por exemplo, não está claro se os níveis ideais de vitamina D são os mesmos para caucasianos, negros ou asiáticos. Atualmente, mais laboratórios estão implementando testes aperfeiçoados e esforços estão sendo feitos para padronizar os resultados de diferentes laboratórios".

O Instituto de Medicina dos EUA, por exemplo, estabelece que pessoas com menos de 20 nanogramas de vitamina D por mililitro de sangue têm deficiência da vitamina. Já a Sociedade Endócrina Norte-Americana estabeleceu um limiar mais alto, de 30 nanogramas. As variações entre os países podem ser ainda maiores.

Pode fazer bem ou pode fazer mal

A principal função da vitamina D é ajudar o corpo a absorver o cálcio. Sua deficiência pode causar atraso no desenvolvimento esquelético e raquitismo em crianças e pode contribuir para a osteoporose e aumento do risco de fratura em adultos.

Embora a falta de vitamina D seja sabidamente responsável por vários problemas, os efeitos de tomar suplementos de vitamina D são controversos, com alguns estudos concluindo que suplementos de cálcio e vitamina D não protegem contra fraturas e até mesmo que suplementos de cálcio e vitamina D fazem mais mal do que bem.

Os pesquisadores também salieantam que mais suplementação de vitamina D não necessariamente faz mais bem. Estudos anteriores mostraram que doses muito altas de vitamina D (300.000-500.000 UI ao longo de um ano) parecem aumentar o risco de fraturas.

Embora a suplementação de vitamina D tenha mostrado capacidade de reduzir a mortalidade geral e alguns estudos sugerirem que a vitamina D pode ser benéfica para a função imunológica, saúde cardiovascular e contra o câncer, a Dra Christakos afirma que um benefício consistente da suplementação de vitamina D ainda não foi demonstrado.

De fato, observa ela, a maioria dos estudos feitos até agora sobre o assunto sequer separa entre os participantes que eram inicialmente deficientes de vitamina D e aqueles que tinham a vitamina em níveis suficientes - mesmo porque, como ela salientou inicialmente, os testes disponíveis não dão resultados similares e não há consenso sobre o que é suficiente e o que não é.


Ver mais notícias sobre os temas:

Vitaminas

Prevenção

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.